LUZ, CÂMERA... GIBIS!

ESTÁ FALTANDO CRIATIVIDADE EM HOLLYWOOD?*

 

CINEMA e histórias em quadrinhos (HQs) – sétima e nona artes, respectivamente – vieram praticamente juntos no fim do Século XIX, consequência da Revolução Industrial. Ambas são filhas da cultura de massa, com a consolidação dos quadrinhos no respaldo da cultura jornalística inicialmente, e o cinema fundamentado como seu próprio veículo.

Sem julgá-las no âmbito de seu valor artístico, focaremos no seu lado industrial, onde concentram essas massas: o cinema blockbuster e o gênero super-heróico.

 

Esporádicos

Desde os anos 1930 os quadrinhos serviam de base criativa para o cinema, seja em longas-metragens ou seriados, formato que depois migraria para a TV. Comparadas hoje em dia, as adaptações se apresentavam de formas esporádicas e tímidas, vide Flash Gordon, de Frederick Stephani (1936), Superman, de Richard Donner (1978) e Batman, de Tim Burton, no final da década de 1980, entre outros. Este último se consolida como a quinta maior bilheteria de todos os tempos na época, apesar da série ser extinta por causa do fracasso de público nas mãos do diretor Joel Schumacher.

 

O grande “boom”

Mas o “boom” dos quadrinhos nas telonas irrompe em 2000 com o início da franquia X-Men, de Bryan Singer, e ecoa dois anos depois com o Homem-Aranha, de Sam Raimi. Para se ter uma ideia do sucesso desses filmes, o primeiro longa-metragem do aracnídeo arrecadou US$ 115 milhões apenas em um final de semana, e O Cavaleiro das Trevas, de Christopher Nolan (2008), sequência de Batman Begins (2005), em apenas um dia arrecadou cerca de US$ 67 milhões nos EUA. Por causa do “retorno” lucrativo quase certo, até mesmo o Homem de Aço foi “ressuscitado” e reinterpretado 20 anos depois do fim da franquia.

A cada ano o que se observa é uma progressão no número de adaptações cinematográficas baseadas em gibis e também nos números do faturamento dos blockbusters. Super-heróis como Hulk, Wolverine (vindo dos X-Men), Demolidor, Quarteto Fantástico, Homem de Ferro ganham vida. HQs menos conhecidas do grande público também fazem sucesso, como Hellboy, Sin City, 300 e Watchmen.

Existe também o crescente de produção dos filmes/quadrinhos mais “sérios”, mas que não fazem parte do mainstream como Estrada para Perdição, de Sam Mendes, Anti-Herói Americano, de Pulcini e Berman (ambas de 2002) e Uma História de Violência, de David Cronenberg (2005).

 

Revolução digital

As HQs e o cinema possuem ritmo visual, linguagem e recursos muito parecidos, como a montagem, enquadramentos, iluminação e profundidade de campo. Com toda paridade e comprovação de muitos êxitos nas bilheterias uma questão vem à tona: por que só agora as histórias em quadrinhos são principais fontes para a Meca hollywoodiana?

Segundo o jornalista Gonçalo Jr., crítico de cinema e estudioso em quadrinhos, “o computador deu mil possibilidades do cinema tornar os gibis mais ‘realistas’ possíveis. Basta ver o Aranha pulando de prédio em prédio ou o Senhor Fantástico salvando um bombeiro na ponte Golden Gate. Tudo ficou maravilhosamente verossímil. E esse era um antigo sonho dos produtores de Hollywood.”

A revolução digital também é a visão do jornalista e crítico português Pedro Cleto, do Jornal de Notícias. “Por outro lado, acredito que para isso também contribui o facto de estar nos locais de decisão uma geração que cresceu com esses quadradinhos e que de alguma forma revive as suas emoções de criança através desses filmes” reflete. “Pela mesma razão, tantas estrelas do cinema ‘lutam’ por aparecer nos filmes.”

 

Hollywood falida?

Mas nem todos querem ver seus personagens saírem do papel para a película. Um exemplo de insatisfação com tais adaptações é do britânico Alan Moore, famoso por escrever obras como Do Inferno, Liga Extraordinária, V de Vingança e mais recentemente Watchmen, todas em versões cinematográficas nas quais não quer ser creditado, muito menos remunerado. “Hollywood e a cultura americana em geral me parecem criativamente falidos”, diagnostica o escritor. “Não me lembro da última vez em que Hollywood tenha tido ideias novas”, ataca.

Já Gonçalo Jr. não crê na falta de criatividade pelo motivo do cinema independente estar tomando conta de Hollywood, além da revisão dos valores éticos e morais pós 11/09. Quanto a onda das HQs no cinema pensa que é algo à parte, prevendo que este “filão lucrativo” dos gibis em carne e osso acabará em, no máximo, cinco anos. “Soma-se a isso o fato de muitos imbecis metidos a críticos de cinema por todo Brasil odeiam quadrinhos, acham uma arte menor e torcem o nariz para essas adaptações.”

Fim dos modismos, da criatividade ou não, algo é sempre certo e inexorável como nos quadrinhos de super-heróis: eles sempre voltam.

(*) Artigo de Audaci Jr. publicado no Caderno 2 do jornal “Correio da Paraíba” em 16/06/09 - Fotos (de cima para baixo): Superman - o filme, Homem-Aranha 2, X-Men Origens: Wolverine, Estrada para Perdição e Watchmen



:::: Escrito por Audaci Junior às 23h59
[   ] [ ]




Costurando uma resposta...

A Conexão Comix fez uma promoção de Retalhos (Blankets no original), novela gráfica autobiográfica de Craig Thompson lançada recentemente pela Editora Cia. das Letras.

Nas suas belamente ilustradas 600 páginas Thompson conta sua infância e adolescência na nevada cidadezinha de Wisconsin. Como foi sua criação sob educação severamente cristã dos pais, o convívio ao lado do irmão caçula e a descoberta do primeiro amor com todas as angústias que isso pode trazer. Retalhos já ganhou quatro prêmios Harvey, dois Eisner e dois Ignatz.

Na promoção bastava responder a seguinte pergunta: "por que eu devo ganhar o Retalhos?" A escolhida ganharia a premiada história em quadrinhos (quando o livro chegar escreverei uma resenha por aqui).

Eis minha "resposta" selecionada:



:::: Escrito por Audaci Junior às 14h41
[   ] [ ]


[ página principal ] [ ver os escarros anteriores ]


 
:::: CUSPIDAS!

:::: REMINISCÊNCIAS!

:::: PRA CAIR FORA!








































































:::: LINKAR O BANNER!

:::: ESCARRÔMETRO!
  Dê uma nota pro blog


O que é isto?!